quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Ciúme


De tanto ouvir que o segredo é não correr atrás das borboletas, passei a criar minhas próprias lagartas.




Psiu! Não precisa dizer nada. Sei que você vai culpar meu ciúme, dizendo que ele á uma lente de aumento e que vejo tudo em tamanho dobrado; vai fazer aquele velho discurso enquanto arruma as malas e no fim, acariciando meu rosto, dirá que sem meus rompantes nervosos nós teríamos dado certo.

Poupe-nos. Não precisa dizer nada, não.

O ciúme é bobo, mas tem dona... Já você, nunca foi meu.


(Para ler ao som de Não Se Vá, Jane e Herondy.)

9 comentários:

LandNick disse...

Gostei da trilha sonora, além do texto, claro! rsrs

Claudio! disse...

Te digo uma coisa.. Eu não, o Quintana - "... Eles passarão. Eu passarinho! " Voa! Corre o tempo com essa lagarta, vira borboleta e voa!
Beijo!

Bárbara Bueeno disse...

Gente! Me diz como não amar Flah Queiroz?! Logo ela que descreve o que passa comigo há alguns dias! E olha que interessante, ela nem sabe quem sou! rsrs.

Alicia disse...

ouch!

que tapa na cara.

Camila Lourenço disse...

Ai Flá...
Foi um tapa na cara, um rompante, mas eu senti uma dor, daquelas agudas, quando li a trilha sonora escolhida para embalar o texto.

Espero que esteja tudo bem.
Bjo.

Roberto Borati disse...

vida que segue, ciúme que não segue.

Gislãne Gonçalves disse...

Belíssimo texto e ótima trilha sonora para a leitura!

:)
beijos

Tatiana Kielberman disse...

Adorei!!

Acho que, às vezes, acabamos amando mais o cíume que o próprio amor...

Loucuras insanas, vai entender!

Beijinhos, Flah!

Lucas Richardson disse...

Maravilhoso. Para mim, ciúmes é a mais sincera demonstração de afeto :)

Postar um comentário

Alimente os devaneios de uma Mariazinha. Comente.