quarta-feira, 29 de junho de 2011

Mantra

O fim não anuncia chegada... A gente não sabe se ele vai passar para o café da tarde, se vai aparecer no churrasco do fim de semana ou se já esteve aqui no almoço e nós é que não nos demos conta.

A gente nunca sabe.

Por isso, se você tiver essa chance, deite sobre o peito de quem você ama e ouça-o recitar um dos poucos mantras de amor sincero: as batidas do coração.

Ninguém pode prometer ficar para sempre... Além da morte, a vida é assombrada por uma série de fantasmas... Como o fim, esse monstrinho de dedos leves e pés treinados que não anuncia quando é que vai aparecer.

De olhos fechados, ouça o coração de quem você ama... É a única certeza possível. E por ora, é tudo o que você precisa saber.

7 comentários:

Camila Lourenço disse...

Ai, Fláh.
doeu...

mas vc tá certa...e eu não gosto de fins.

Isabelle disse...

Me deixou com vontade de ter super poderes pra escutar corações distantes e ter uma certeza constante.

*Nina* disse...

Lindo!!

Felipe Carriço disse...

Que texto bonito. De uma tristeza inocente, quase infantil, mas não necessariamente triste. Ele é real, apenas.

Auscultemo-nos uns aos outros, como se não houvesse amanhã!

Anderson Meireles disse...

Sempre me pego pensando: Onde há mais poesia, no início ou no fim? Muita coisa me faz crer que é no fim.
Abraço!

Tatiana Kielberman disse...

Que delícia de post!

É sempre um aconchego passar por aqui...

Beijinhos, querida!!

Kaká disse...

Me jogou no chão... vou fazer isso AGORA! Ouvir o coração da minha mãe, acabamos de ter um arranca a pouco, e ler isso me fez chorar muito!
Bjs

Postar um comentário

Alimente os devaneios de uma Mariazinha. Comente.