terça-feira, 27 de abril de 2010

Breve diálogo de um quase adeus



_Peraí, como assim, eu atrapalho? Desde quando acabaram as cores no meu arco-íris?
_Não vou explicar nada. Nem sobre você, nem sobre mim, nem sobre o branco e preto.
_Tá. Não me importo em falar sobre nós dois... Mas todas aquelas cores que você me prometeu??? (Ela melancólica).
_Acabaram. Desbotou e você nem se deu conta, boba! Primeiro ficou tudo cinza... Depois veio o branco e preto mesmo. (Ele nem aí).
_Mas ainda te vejo brilhando... Tem um vermelhinho ali, no cantinho esquerdo... Acho que tem até um pouco de azul nas suas mãos. (Ela com esperanças).
_Já disse que não quero conversar... Pô! Você faz tudo errado... Sempre querendo estar feliz, mania besta de querer ser feliz! Para de amar desse jeito chato... Para de querer colorir tudo!
_Mas eu não... (Ela disfarçando o choro).
_Chega! Ou a conversa acaba, ou acaba nossa história.

Foi aí que ela calou tudo: o choro contido, a esperança teimosa, o amor insistente e o último lápis de cor que trazia na mão.

3 comentários:

disse...

Credo porque ainda tem gente querendo acabar com as cores do amor? Deixa não moça, deixa não... );

Que fofinho de ler, adorei. haha
vou mostrar pruma amiga, falávamos disso hoje.
Esse blog foi um achado, já estou perdida nele faz um tempo haha.
adorei as coisas aqui.
to seguindo.
um beijo :)

M. F. Delos disse...

Li texto a texto e digo o seguinte: sei que já tá soando clichê, mas tás de parabéns.

A minha parte favorita desse post foi o final e ele me lembrou desse trecho aqui:

"Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você, eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende? Dolorido-colorido, estou repetindo devagar para que você possa compreender."

[Para um avenca partindo - Caio Fernando Abreu]

Nanda disse...

Simplesmente to encantada com seu espaço! Lindo e com palavras, frases, coisas tão verdadeiras...

Mas que nunca perdamos nossa esperança em colorir o que nos é cinza!

parabéns, beijos

Nanda

Postar um comentário

Alimente os devaneios de uma Mariazinha. Comente.