terça-feira, 7 de agosto de 2012

The End



Não sei gostar com calma. Aliás, mal sei o que é calma. Isso realmente existe?
Quer calma, pede um copo d'água, um chá de camomila, um comprimido. Eu sou o contrário.
Não consigo aguardar o miojo ficar pronto, que dirá esperar que as coisas aconteçam. Eu não. Sou do tipo que não faz tipo. Corro atrás, pego pelo braço, puxo, mordo. Canso, mas também faço cansar.
Não que me orgulhe disso. Ah! Como dá trabalho!
Às vezes fico exausta apenas por ser eu. Porque ser eu é uma tarefa árdua, cansativa, sem folga e com pouca remuneração.
Não sei gostar com calma. Não me peça calma, meu bem.
Agora que sabes como a banda toca, se toca. Cai fora!


Para ler ao som de No Light, No Light.

6 comentários:

Ana SSK disse...

Gostar com calma: da ordem do impossível!

Eduardo Danim disse...

Pra que a pressa? Tudo o que começa rápido provavelmente terminará com a mesma intensidade. Por que não ter calma? Quem corre cansa e quem tenta alcançar, cansa mais rápido ainda.
Tudo bem se for flerte ou paixonite. Vá em frente, pise fundo. Mas se é amor...
Amor requer tempo e paciência, tanto pra ser conquistado, quanto pra ser vivido. Não dá pra sair atropelando as fases.

Tatiana Kielberman disse...

Uau!

Direto e impressionante...

Que assim seja, Flah!

Beijos, adorei!!

Loridane Melchior disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Loridane Melchior disse...

Eu devoro o bolo ainda quente e metade do brigadeiro antes dele ficar pronto. Ansiedade é uma das entrelinhas do meu nome.

Que preguiça tenho de esperar. Exceto em raras ocasiões que valem muito a pena. Esperar, deve ser amor.

Um beijo menina Flá.

jotaesse disse...

parabéns, "mariazinha" flah... tô gostando... só anota aí: "amor" só existe no dicionário "politicamente correto", que, por sua vez, é, também, completamente abstrato... ;-*

Postar um comentário

Alimente os devaneios de uma Mariazinha. Comente.