quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Breve Receituário


“Não é amor se não te deixa confuso de vez em quando.”




Amor. Sentimento, maçã, flor, gesto, mãe, sexo. Amor é tanta coisa. Vida, apelido, pretexto, mágoa, dor, saudade. Amor é absurdo.


Poesia, livro, tema, alma, doação. Amor é complicado. Grande, confuso, fraterno, desejo. Amor é amplidão.

É substantivo ou é verbo? Próprio ou comum? Eterno ou fugaz?


Até quando seremos tão piegas, enfiando o amor goela abaixo como um comprimido?

Transformá-lo em relacionamento é isso, é fazê-lo remédio. E o amor que era tanta coisa, vira mera reciprocidade. Vai, engole!


A gente o receita desejando que seja rápido e acaba fazendo com que o outro engasgue, tussa e até cuspa.
Calma, cara! Amor é tudo, exceto imposição.

6 comentários:

Espelho Meu disse...

Um texto tão seu. Um espelho tão nosso. Adoro como nos embriaga com eles. <3

Tatiana Kielberman disse...

Uau... Já nem tenho mais palavras para comentar a preciosidade dos seus textos, Flah.

Demais!!

Beijos e parabéns!

Henrique disse...

Belo texto. Peço licença a colega acima pois faço dela az minhas palavras. Tenho um amigo, o Sr. Juzé, que parece que tomou meio comprimido desse do amor.

seujuze.blogspot.com.br/2012/09/definicao-de-amar.html?m=1

sobrefatalismos disse...

Prosa, sexo, poesia, Bossa-nova, invasão. Não dá para impor, é necessário conquistar. Abraços!

Toninho Moura disse...

Amar é!

Lucas Richardson disse...

Além das verdades, gosto da combinação do humor com lirismo, como um filme que você não sabe se é drama ou comédia, que te faz rir e querer chorar, e no caso, além de sorrir com o toque de humor, paro para pensar com seriedade. Poucos conseguem temperar um texto dessa maneira.

tercerapessoa.blogspot.com

Postar um comentário

Alimente os devaneios de uma Mariazinha. Comente.